domingo, 20 de novembro de 2011

[Resenha] Glimmerglass, por Jenna Black


   Oi leitores! Finalmente fiz a resenha desse livro. Sem dúvida alguma, Dana entrou para a minha lista de personagens favoritas, além de vir acompanhada de dons mágicos e de um par, no mínimo, interessante ( *-* Ethan *-* ).

      O livro é narrado pela própria protagonista, que traz situações, a certo modo, engraçadas aos leitores. Filha de uma alcoólatra, a garota sempre teve que se virar sozinha para pagar contas, comprar comida, cuidar da casa e da própria mãe, além de, claro, estudar. Este é um dos motivos que me faz gostar dela: a vida dela e a maneira como ela a leva (personagens mimados em livros YA não têm espaço para o meu coração).

   “- Se essa é a sua idéia de cuidar de mim, seria melhor eu fazer isso sozinha. – Não costumo ser rude, ainda mais com autoridades, mas a fadiga do vôo, o nervosismo e a confusão se juntaram para tornar meu humor, no mínimo, irritadiço. – Você poderia simplesmente ter se apresentado desde o início em vez de me assustar com sua atitude típica da Gestapo.”
Página 23

       Cansada de ter tanto trabalho com sua mãe, se sentindo envergonhada pelas atitudes desta e esgotada das mudanças freqüentes de cidade – isso por que o pai de Dana não sabia de sua existência, e a mãe dela temia que um dia soubesse, o que a fazia mudar seu endereço várias vezes ao ano -, Dana foge da casa da mãe, acreditando que sua vida seria melhor e mais fácil com ele.

       Sem nunca tê-lo visto, a garota teve dificuldades para encontrar-se com o pai no aeroporto – e, na verdade, não o encontrou mesmo -. Já apreensiva, ela pega um táxi e vai até Avalon, a cidade onde seu pai mora. Ao passar pela fronteira, Dana teve problemas com algumas autoridades, dentre elas sua tia – até então também desconhecida – Grace.

       Logo no início daquela que seria sua nova vida, a adolescente passa por vários apuros, dentre eles seqüestros, ameaças de morte e algo que poderíamos chamar de cárcere privado. Muito fácil sua vida em Avalon, não é Dana?! Pois é, por motivos que nem mesmo ela sabe, corremos, por todo o livro, o risco de perdermos nossa protagonista.

       E é em um desses apuros que surgem os irmãos Ethan e Kimber, seqüestradores de Dana e futuros.. Bom, Kimber se torna amiga de Dana, já Ethan se torna o “rolo” da história. =)

       Devido a tantos problemas em poucos dias, Dana começa a se arrepender de sua decisão. Sem pessoas em quem possa confiar, confina seus problemas e esgueira-se pelos cantos, com medo de qualquer vento um pouco mais forte.

       Utilizada para o bem e também para o mal, a magia começa a marcar presença nos acontecimentos, o que traz ainda mais dúvidas para Dana; seu pai, Seamus Stuart, é alguém poderoso metido em cenas políticas, e eis que até isso é um problema para a filha dele, já que a protagonista prova ser uma Faeriewalker – um raro tipo de pessoa que é capaz de levar magia ao mundo humano e tecnologia para a cidade de Faerie.

       Dentre monstrengos, seres feéricos, rosas vermelhas ou brancas e disputas políticas, Dana revê sua antiga vida e desespera-se por um dia ter acreditado que cuidar da mãe – que agora estava em Avalon, sem a guarda da filha e sofrendo com a abstinência do álcool - e de si mesma era algo ruim. Num monólogo cheio de planos e determinação, o livro se acaba, deixando no ar o pedido de que a história continue.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

2 comentários:

Mireliinha disse...

Já estive BEM curiosa pra ler esse livro... Hj não to mais :(

:*
Mi
Inteiramente Diva

NikaSanc disse...

Oi Mi!

Eu também não tinha a mínima curiosidade em ler Glimmerglass, mas li uma resenha da Guria e fiquei extremamente curiosa. Assim que pude, comprei. Não me arrependi - pelo contrário, amei!
Beijos! =*)

Return to top of page
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML